5 dicas para ler mais

Você já se pegou pensando sobre como gostaria de ter mais tempo para leitura? Ou até mesmo interesse? Se a resposta for “sim”, você provavelmente está dentro ou bem perto da média de leitura do brasileiro médio, que é de 4 livros por ano.

Embora eu queira dizer que não há problema nisso, que cada um faz o que quiser da vida, a verdade é que há problema, sim: quando a gente não lê, perde oportunidades incríveis, como a de viver novas aventuras, incrementar o vocabulário e aprender novas coisas. A vida de alguém que não lê pode ser ótima, mas seria infinitamente melhor se ela lesse.

Palavra de honra.

Mas não estou aqui para pregar aos convertidos, e sim para ajudar quem respondeu “sim” às perguntas iniciais e quer mudar de vida! E já vou avisando que a atividade da leitura é, primordialmente, questão de interesse. Quando queremos, achamos tempo. Então, hoje, não vamos mexer na sua agenda.

Com as dicas abaixo, vamos mexer nos seus hábitos. Com calma, com carinho, implementando uma das dicas a cada dia, e repetindo-as até que a coisa role naturalmente. Que tal?

Se não souber onde começar a ler, tem algumas dicas nesse post aqui. Mas, a princípio, acho que você tem que julgar o livro pela capa, pegar algo que te faça ter vontade real de ler aquilo até o fim. No caminho você vai aprender que a capa não é nem o começo, mas, agora, vamos começar do zero e destruir alguns princípios que nos afastaram dos livros por anos e anos.

Depois me conta se essas dicas serviram para você.

 

#1 – Conecte-se ou largue!

Se não curtiu a dedicatória e nem a introdução, que são as primeiras páginas do livro, largue-o pra lá.

Você não é obrigado a ler tudo só porque começou. Eu sei, o TOC grita. Mas a vida é curta demais pra ler algo que você julgou chato.

Se você não tem o hábito de ler muito e encontrar dificuldades para se conectar rapidinho, começando a achar a leitura maçante, isso pode contribuir para o estigma que você constrói de que todo livro é chato.

Então, apenas largue o que achou ruim e parta para o próximo.

#2 – Evite o carrossel!

Essa dica vai de encontro à primeira porque ela quer fazer com que você pare de pular de livro em livro achando que não está se conectando a nenhum.

Se essa for a realidade, das duas, uma: ou você é um leitor tão exigente que talvez nenhum autor mereça sua atenção (duvido que seja o caso) ou você está escolhendo livros fora do padrão do que você curtiria.

Para evitar o carrossel, ou seja, que todo livro que você pegue seja largado sumariamente, faça um esquema de exclusão. Por exemplo: no cinema, o que você assiste feliz? Se uma comédia romântica te faz bem feliz, pegue um romance mais tranquilinho, para começar. Algo que carregue um humor leve e talvez te arranque lágrimas sentimentais. Se for uma aventura épica, ficção fantástica pode ser boa pedida. Ama ver a vida de celebridades retratada na telona? Aposte em biografias. E lembre-se: não espere virar filme, ler o livro é, 99% das vezes, uma experiência bem mais divertida.

#3 – Um pouquinho de leitura genérica por dia

Construir o hábito de leitura é fundamental para conseguir pegar um livro e ir até o final. Igualzinho atleta que corre maratona: da mesma forma que o sedentário não acorda um dia e fala “hoje vou correr a meia maratona de Milão”, você não vai sair do “não leio nada” para “hoje eu vou ler a coleção toda de Shakespeare ou não me chamo ___________ (insira seu nome aqui)” do dia para a noite.

Leitura constante é treino, igualzinho para a maratona. Inclusive, é o que vai te dar repertório para se deleitar com qualquer tipo de leitura.

Se comprometa a ler um pouquinho por dia de coisas genéricas – como esse blog, por exemplo. 🙂 Fale a si mesmo: todo dia de manhã vou abrir um blog e ler um post completinho, sem pular linhas. Se você conseguir ler tudo e comentar algo que promova a discussão com o autor, é uma etapa vencida.

Leia devagar e sempre e, um dia, você acordará e verá que está lendo sempre e muito rápido.

#4 – Uma página por dia

Escolheu o livro? Se conectou? Então o primeiro passo é: evite lê-lo só na hora de ir dormir. Deixe o livro chato para esse momento, em que seu cérebro está prontinho para descansar.

O livro bacana você lê em outros momentos – se possível, separe um momento específico para ele. Às 17h, por exemplo. E, se não estiver afim de comer 50 páginas de uma vez, estabeleça o compromisso de que pelo menos uma página por dia vai.

Na primeira semana, uma página por dia; na segunda, suba para duas páginas, e assim por diante, até que você perceba que leu o livro inteiro em uma sentada.

#5 – Tenha um lugar especial

Isso transforma nossa experiência de leitura.

Eu leio em qualquer lugar, no ônibus, na praça, na cama, só não leio no banheiro porque, honestamente, não consigo me concentrar em fazer cocô e ler algo ao mesmo tempo. Mas, se você consegue, vai fundo. E se esse for seu lugar especial, mais fundo ainda.

Se não, escolha um cantinho que será seu “altar da leitura”. Pode ser um sofá gostoso da sua casa, sua rede, um café no fim da rua, um parque. Ao estabelecer um horário para leitura, faça questão de, sempre que possível, estar no seu lugar especial.

 

Será que funciona, mesmo?

Ora, ora, isso aqui não é nenhum blog de cagação de regra – perdão pelo francês (aprendi com Saint-Exupéry) -, então quem vai dizer se funciona mesmo é você. E, se essas artimanhas não funcionarem de jeito nenhum, me avise que a gente inventa outras. Qualquer coisa para você ler mais.

Só compartilhei essas ideias porque comigo, funciona.

Antes, eu lia tudo o que começava só porque me sentia incompleta por não ler até o final. Resultado? Eu lia totalmente desinteressada e não me lembrava nem sequer como a história tinha terminado. Dois dias após fechar o livro! Hoje, não mais. Se a leitura fica pesada, eu largo. Tá bom, não é um “nunca mais”; talvez, “até a próxima”. Para provar que é verdade, vou contar o último livro que larguei pela metade: Mulheres que correm com os lobos.

Meu carrossel não é de largar livros, e sim de ler uma ficção, depois uma não-ficção, e repetir essa sequência ao infinito. E, depois de anos de treinamento, hoje sei comprar livros. Logo conto aqui minha técnica, mas, por ora, aviso que é difícil comprar um livro que não me empolgue, porque, ainda que tenha um gosto eclético, sei bem o que não vou gostar.

Sobre as leituras genéricas, faço isso com revistas impressas – amo – e com inúmeros blogs e sites de notícias. Em um novo post vou elencar meus preferidos. Sigamos.

Já estou na fase de ler 50 páginas por dia. Não durmo sem passar por essa meta e, se rolar de ler menos que isso, compenso no dia seguinte. Como resultado, sempre sei quando vou terminar uma leitura, e já posso começar a me programar para a próxima.

Não, não consigo ler mais de um ao mesmo tempo.

Meu lugar especial é minha cama. <3

Mas adoro ler no ônibus também. Não quando ele está se movendo, vomito fácil! Mas, com o trânsito de BH, às vezes dá para ler as 50 páginas no meio do congestionamento mesmo.

 

Se você tiver alguma outra boa artimanha de incentivo à leitura, me conta! Vamos trocar figurinhas.

4 Comentários
  1. avatar image
    Giovanni at 1 de fevereiro de 2019 Responder

    Oiii Laís! Gostei das dicas. Preciso muito melhorar como leitor. Tenho duas dicas que acho essenciais: a primeira é extremamente difícil no mundo de hoje, que é desconectar-se da internet(redes sociais mais especificamente falando). Um desafio e tanto! E a outra é anexar o ato de ler a algo rotineiro, como refeições, banhos e etc., assim como escovar os dentes, uma hora a pessoa começará a fazer sem nem perceber.
    Bom, é isso! Tô adorando o blog. Parabéns!
    Beijo, té mais!

    1. avatar image
      Lais Menini at 3 de fevereiro de 2019 Responder

      Arrasou, Giovanni! Concordo com as duas dicas e sempre tento implementá-las! Vamos juntos! 😉

  2. avatar image
    Iara at 4 de fevereiro de 2019 Responder

    Muito boas suas dicas,principalmente para os leitores mirins,que serão os grandes leitores do futuro ;p Só um adendo : pra mim,nem precisa de um lugarzinho especial(#5), o ato de ler é que torna qualquer lugar especial…bjs…

  3. avatar image
    Túlio at 19 de fevereiro de 2019 Responder

    O hábito da leitura é isso mesmo, deve partir do próprio interesse.

    Claro que algumas pessoas e situações também podem nos influenciar, e todos deveriam aproveitar enquanto é tempo de viajar na companhia de um bom livro.

    Eu acreditava q devorava livros, pq sou bem frenético mesmo, do tipo acaba um e já com o próximo na mão, mas vou me desafiar dessa forma nas 50 diárias.

    Otimo conteúdo! ‍♂️

Deixe um comentário

Assine a newsletter!

Deixe seu e-mail e você receberá o Literama em sua caixa de entrada!