Carta para dias ansiosos

Um barco está sempre seguro no porto, mas não foi para ficar lá que ele foi feito. (John A. Shedd)

Calma. Aquieta esse coração maluco.

Meditar pode ser um bom caminho, mas o pensamento racional é imbatível. Olha pra trás, só pra analisar, e olha pro agora. O que te faz pensar que o que vem a seguir está perdido?

Ao mesmo tempo, afaste seu olhar. Quando sai do agora, você é, apenas, observadora da própria vida. Não há como mudar o passado, então não olhe para esse quadro com raiva ou arrependimentos. Você, quando muito, só controla o agora. O que te leva a concluir que se preocupar com o futuro também não é, lá, muito prático.

Quando a gente teme as coisas que ainda não existem, o que a gente tem é só medo. E, por mais que ele seja bem-vindo grande parte das vezes, ele não é útil todas as vezes. A mesma coisa que garante sua sobrevivência pode te fazer entrar numa espiral de aborrecimentos que não têm nenhuma conexão com a realidade.

Deixe que seu pensamento seja positivamente racional. Isso quer dizer que você tem permissão para esperar o melhor, principalmente se estiver de braços abertos para aceitar o que vier. Não é sua crença no cenário favorável que vai fazer com que o pior aconteça, então pense, tranquila, que tudo dará certo. Se não der, não desista. As coisas não estão sempre sob nosso controle por um motivo muito simples.

Se estivessem, nada disso teria graça.

Pense na imensidão do universo, e em como você é tão pequena e tão insignificante para a engrenagem toda. A maioria das pessoas pode achar que esse é um jeito pessimista de ver as coisas, mas, como sua mãe te dizia, você não é a maioria das pessoas. Você é uma única pessoa, repleta de carbono, esperando ser poeira de estrelas em um planeta que é, por si só, um pálido ponto azul em um universo gigantesco.

Quando qualquer pedacinho de medo vier te invadir, encare-o com a grandeza de quem não é absolutamente nada. Assim, você não terá nada a temer.

Ao mesmo tempo, curve a cabeça para respeitar a natureza que te cerca. Ela te trouxe até aqui, durante todas as etapas da sua vida, e ela sabe o que faz. Não é o caso de acreditar no destino, ou que as coisas estão escritas, ou no que as religiões dizem. Ao contrário, é ter certeza de que a natureza garantiu a preservação da espécie humana simplesmente porque é perfeita, e mesmo quando não existiam países, cidades, fóruns de internet e exames de alta tecnologia, todas aquelas pessoas sobreviveram, e algumas tantas morreram, porque é a natureza, sempre soberana, que não comete erros.

No nosso mais profundo egoísmo, podemos nos achar especiais o bastante para acreditar que as coisas poderiam ser diferentes quando elas não saem do jeito que a gente queria. Somos humanos, inventamos sentimentos e temos todo direito de achar qualquer coisa, assim como de estarmos errados. Quando o desespero bater, pense na natureza. Ela esteve aqui bilhões de anos antes de você chegar, e estará por muito tempo depois que você partir.

Não é muito sábio questioná-la; apenas aguarde suas ordens.

Inclusive, é bom lembrar que, se você chegou até aqui, é porque você está vencendo os pontos do processo evolutivo. Isso significa que suas chances se tornam ainda maiores, sempre maiores. A cada dia vivido, aumenta-se sua capacidade de evoluir e contribuir para o desenvolvimento da sua espécie. Mesmo quando as coisas não ocorrem como deveriam, você está aqui para o bando, ainda que, muitas vezes, não pareça que o bando está aqui por você.

Lembre-se que a natureza nunca falha. Nunca. Aceite suas ordens. Você não tem nada a temer.

Então, calma.

Aquieta esse coração maluco.

Deixe que o futuro lance os dados e que o presente seja sempre uma dádiva para sua capacidade de entendimento. Não tente atropelar as coisas, não crie altas expectativas, não lamente, não se enfureça. Lembre-se: você não está no comando, porque, por sorte sua, você é pequena demais para isso.

A responsabilidade que está em suas mãos, agora, é esperar pela passagem do tempo, se quiser ter todas as respostas. Elas nem sempre serão as que você gostaria, e tudo bem. Se fossem, não teria graça, lembra?

Nos piores dias, nas piores semanas, nas perdas bruscas sem possibilidade de despedida, você sentirá que essas palavras não farão nenhum sentido, e é exatamente nesse momento que mais precisará delas. Então, encha-se de coragem e leia. Assuma a rédea do que vier como alguém que entende seu lugar e que, por mais que tenha milhares de perguntas a fazer, compreende que a natureza não lhe deve explicações.

Quanto menor você se enxergar diante de tudo isso que te cerca, menor e menor e menor e menor será a sua dor. Ela vai parecer gigante, porque está dentro de um corpo finito e falho, mas preste atenção, porque essa parte é muito importante: você é uma série de reações químicas, e alguns dizem que você é, realmente, poeira das estrelas, então olhe lá pra cima e veja como é possível transformar coisas gigantes em pontos minúsculos que parecem encantadores quando falta luz na cidade.

É possível. Você consegue. Porque, mesmo pequena, você faz parte dessa imensidão toda. Apenas continue seguindo as ordens da natureza e ela vai te mostrar o caminho, ainda que não tenha a menor obrigação de fazer isso. Você faz parte da raça humana, e sua raça inventou sentimentos que vão te fazer se sentir uma idiota inúmeras vezes, mas isso também é natural.

Contemple o merecimento de pertencer a esse tempo e espaço e, mesmo doendo, agradeça o que vier disso. Agradeça ter a chance de jogar. Pode ser que, no fim da estrada, você se depare com a constatação de que valeu a pena – e, isso, só você pode sentir, com esse cérebro inquieto que parece falhar toda vez que tenta acalmar esse coração maluco.

3 Comentários
Deixe um comentário

Assine a newsletter!

Deixe seu e-mail e você receberá o Literama em sua caixa de entrada!