Livros que nos dão razões para serem julgados pela capa

Não sei quem disse “não julgue o livro pela capa” e transformou o conselho em mandamento da literatura, mas aposto que era alguém que gastava muito dinheiro com livros bonitos e queria parar essa potencial falência enquanto ainda dava tempo.

Tem livro que desafia nossa pretensão de um dia lê-lo por, simplesmente, parecer um ótimo objeto de decoração. Tem capas bonitas, duras ou moles (mas, na maior parte das vezes, duras), com design incrível e passam a mensagem de que aquela é uma compra boa a se fazer.

É sempre bom a gente fazer um esforcinho para ler os livros comprados, é claro. Mas temos o resto do blog inteiro para falar sobre isso. Hoje vamos, apenas, admirar essas belezinhas de celulose e dar nossos parabéns a todos os envolvidos na concepção de obras de artes que podem ser folheadas.

(PS: para deixar o post mais crível, a lista é 100% baseada nas compras que EU fiz porque gostei da capa.)

#1 – O Diário de Anne Frank

A edição acima reproduz fielmente a capa do diário que Anne Frank usou para eternizar suas memórias. A foto do caderno original está no acervo da edição, feita pela Editora Record.

O cuidado para uma capa bonita foi tanto que o nome da própria editora só aparece na lombada.

#2 – Extraordinárias

Também do meu acervo pessoal, a foto dessa capa demonstra porque ela é uma obra de arte: feita com papel holográfico, o livro distribui cor onde estiver. E, se você ler o post que fiz sobre a obra, vai entender porque, na minha opinião, a escolha desse efeito foi proposital.

#3 – Jane Austen – Coletânea

O volume, com três livros da britânica, é maravilhoso. Posa para fotos como ninguém. Tem um tom perfeito de azul, que chama a atenção de longe dentro da livraria, e parece carregar todos os segredos do século XVIII.

Isso é tudo o que precisamos para querer fazer uma viagem no tempo. O conteúdo se encarrega do resto.

#4 – Histórias de ninar para garotas rebeldes

Comprei esse para presentear minha sobrinha de sete anos e quis um só para mim – mas ainda não comprei, pois é tão caro quanto, sei lá, um objeto de decoração. Esse livro tem o mesmo magnetismo de Extraordinárias, por não ser somente a capa: cada história de ninar é seguida de uma ilustração maravilhosa.

Dá vontade de arrancar todas as páginas e transformá-las em quadros.

#5 – O Mágico de Oz

A edição de capa verde me chamou a atenção em um vídeo de YouTube e eu achei que só conseguiria pela Amazon. Qual não foi minha surpresa quando achei duas versões – uma maior e uma menor – da mesma capa em uma livraria da cidade.

Escolhi a menor, super delicadinha, e comprei uma caneta verde da cor da capa só para marcar minhas passagens preferidas.

#6 – The little book of Wonder Woman

Outro livro que é todinho obra de arte, com o adicional de ter uma das capas mais legais de todos os tempos. No momento em que muitas Wonder Woman ostentam silhuetas similares à de Gal Gadot (merecidamente), é legal ter em casa uma Mulher Maravilha que não se parece com ninguém.

Assim, ela pode se parecer com todo mundo. 🙂

#7 – Histórias Extraordinárias

Quando vi o livro na estante soltei, involuntariamente, um “nu, que lindo”, para ouvir do vendedor, em resposta, “e ainda está em promoção”. Não deu outra. Comprei e senti o medo de ler Alan Poe a partir da capa.

Também escrevi sobre a obra; leia se tiver coragem. ;p

 

Por enquanto, essas são as minhas dicas de obras de arte em versão capa de livro. Quais você julgou pela capa e transformou em objeto de decoração? Quais você só comprou pela capa e nunca leu?

E a mais polêmica de todas: qual você comprou pela capa linda e se arrependeu porque o livro é um saco?

Me conta tudo. ;p

 

Pra que resistir?

Compre abaixo essas edições lindas e ajude o Literama a juntar um dinheirinho para comprar outros livros tão lindos quanto.

Deixe um comentário

Assine a newsletter!

Deixe seu e-mail e você receberá o Literama em sua caixa de entrada!